O ÓDIO

Sêneca pensador e filósofo Romano que nasceu na Espanha, disse que o pior dos sentimentos do homem, é o ÓDIO ou IRA. Este Ódio, pode ser controlado, porem se transforma num caos imprevisível e maligno quando foge ao nosso controle. (Ele mesmo morreu -suicidado- por ordens do ditador Nero). O Ódio, é perfeitamente normal disse Sêneca e ocorre porque as coisas não saem como as prevemos. Diríamos – acrescentando – que não são como as queremos. Por isso , Sêneca, disse que devemos ser “pessimistas” porque se as coisas não saem como as queremos, já sabíamos e nada muda. Não ficaremos felizes por isso más também não ficaremos muito tristes. Em contrapartida se as cosas saem ao nosso favor (não como as prevíamos) ,ficaremos alegres e felizes. Acreditamos que Sêneca tem algo de certo em grande parte do seu pensamento filosófico do Ódio, porém achamos que quando o Ódio é controlado, alimenta o motor dos objetivos, principalmente quando se manifesta em contra de situações “malignas”, como é o caso das ditaduras nazistas, marxistas , religiosas e outras similares. Achamos absolutamente normal, sentir Ódio contra os crimes praticados pela ditadura dos nazis contra os judeus e outros. Achamos normal, sentir Ódio pelas atrocidades cometidas pelas ditaduras marxistas na antiga União Soviética, Camboja, Laos, China, Cuba, etc. Achamos normal que os Palestinos sintam Ódio pela ocupação dos Judeus nos territórios ocupados após a guerra dos 6 dias. Como é normal que os Israelitas sintam Ódio (como quase todo o mundo) pelos atos terroristas árabes contra seus cidadãos. Para reduzir ou eliminar o Ódio, acreditamos que é preciso eliminar ou reduzir a causa, já que o Ódio é apenas um efeito. Filosoficamente falando, Odiar o Ruim para simultaneamente Amar o Bom, é algo benéfico para todos. Os Trabalhadores não marxistas Socialistas Democráticos temos ÓDIO e NOJO das ditaduras e amamos a Democracia, a Justiça Social e a Liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *