A ANGÚSTIA DE UM COMUNISTA

Já havíamos comentado neste mesmo blog que era difícil entender os comunistas. Passo a relatar um caso estranho que aconteceu com meu irmão comunista anos antes de falecer do maldito câncer. Depois de voltar de sua emigração em que esteve como “refugiado político” em Canadá e pelas dificuldades de encontrar um emprego no Chile, decidiu abrir um negócio por conta própria de importação de cosméticos. Ele trabalhava sozinho nisso. O negócio foi crescendo e crescendo. Seus produtos eram bons e tinham um bom preço. Visitava todas as semanas quase 30 clientes em Santiago do Chile, em lojas revendedoras de cosméticos. Vendia tudo com nota fiscal, tudo 100% legal. Comprou um armário metálico grande para estocar as mercadorias e em pouco tempo ficou pequeno. Visitei Santiago quando ele começou alugar um pequeno local comercial no Portal Fernandez Concha da Praça de Armas no centro de Santiago. Como tinha que fechar a loja quando visitava outros clientes, achou interessante contratar uma funcionária (parece que também militante do partido) que estava sem emprego e precisando muito de dinheiro. Ela ficou feliz. Tempo depois, meu irmão me disse que estava angustiado, pois considerava que estava praticando o que todo capitalista faz: contratar empregados para ajudar no negócio. E como o negócio continuava a crescer, pensava que teria que contratar mais uma funcionária ao abrir uma segunda loja. A angústia era tanta, que ofereceu a empregada dividir os lucros da empresa. Eu lhe disse que ele era um “empreendedor” e parecia que de “sucesso”. Eu lhe disse que não tinha nada que ver com que ele era ou não era comunista. Muito pelo contrário, devia se considerar feliz, que estava ajudando uma chilena que precisava de ajuda, pois, do contrário, ela continuaria sendo uma “desempregada sem dinheiro”. Parece que minhas palavras o tranquilizaram um pouco. No ano seguinte o visitei e já estava num local maior numa galeria do bairro de Providencia, em frente ao Hospital Militar onde tinha falecido o maldito e perverso ex-ditador Pinochet. O local era maior, mas me disse que tinha decidido ficar pequeno para não crescer o negócio nem as ambições dele por mais dinheiro bom de lucros dos cosméticos; devia evitar as tentações. Tinha decidido demitir a funcionaria. Fiquei de boca aberta e pensei: alguns comunistas são realmente IDIOTAS!!! Não tem sentido dialogar com eles. Para eles o “cavalo branco de Napoleão será sempre NEGRO”. Os trabalhadores não marxistas SOCIALISTAS DEMOCRÁTICOS toleramos o capitalismo desde que este respeite e ajude a suprir as necessidades dos trabalhadores, mas em DEMOCRACIA. Não como a China comunista, com uma ditadura marxista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *