O QUE É FASCISMO?

Em 1928, o jornalista “socialista marxista” Benito Mussolini chegou ao convencimento que mesmo com uma ditadura, que ele pensava ser a melhor forma de governo para fazer mudanças, era preciso incentivar as massas para seu espirito nacionalista. Para o amor pela terra, pela Pátria. “Pátria Italiana Amada” era um lema bastante popular, que envolveria a maioria da população. Como os marxistas são internacionalistas e não nacionalistas (como os verdadeiros democratas), Benito Mussolini foi expulso do Partido Marxista. Começou a criar uma briga com todos para enaltecer sua posição, liderando o Jornal “Avanti”, do qual era diretor. Falava tantas besteiras e estupidezes ofensivas que foi acusado de “ofendedor” e “perturbador”, e para que não fosse capturado, fugiu para Suíça. Ali teve um filho com uma empregada doméstica e jamais o reconheceu (não havia testes de DNA nessa época e era um covarde, pois não assumiu o que fez). Voltando à Itália, depois que os ânimos esfriaram, fundou o Partido Fascista da Itália (O partido dos fascios, porque dizia que um caule de planta era frágil e qualquer um poderia cortar, mas um “fascio” (um maço) de caules, ninguém podia destruir. Muito interessante e muito hábil!! Pouco original, já que os antigos romanos usavam o mesmo conceito). RESGATOU A SAUDAÇÃO ROMANA DE MÃO EM ALTO, COPIADA DEPOIS PELOS NAZISTAS (seus adorados aliados).  Criou um modelo de governo em que o Rei da Itália era o centro de todo, mas o poder ficava com os fascistas, dirigido pelo Grande Conselho Fascista do qual ele era o Supremo Diretor, o DUCE. Depois da marcha dos camisas negras para Roma e tomar o poder num astuto golpe, eliminou a imprensa opositora. A imprensa livre deixou de existir. O Estado não era o motor principal, mas era de onde vinha toda a “energia que incentivava o Trabalho” (o dinheiro). Quem não aceitasse esse governo e tal sistema, era perseguido pelo Estado. Os partidos políticos foram proibidos, exceto o Partido Fascista. Conseguiu com o uso de subterfúgios, controlar todos os poderes da nação: o Executivo, o Legislativo, o Judiciário e o Controlador (que foi dissecado). O poder Defensivo FFAA) ficou com o rei, mas este transferiu o poder para o ditador, que assim o podia usar à vontade. Dizem que Mussolini colocou o rei contra a parede: “o é assim ou não teremos rei”. O Fascismo de Mussolini era muito parecido com o comunismo e marxismo. Tinha muitas coisas em comum. (Ao final foi criado por um antigo socialista marxista: ele). Por exemplo, a falta de liberdade, o controle de todos os poderes pelo ditador, a perseguição da oposição, a exacerbação dos princípios nacionalistas (Mare Nostrum), o espírito expansionista (Eritreia, Somália, Líbia). Queria que todos os governos do mundo se espelhassem no fascismo (da mesma forma que os objetivos do Imperialismo Marxista).  Os sindicatos tinham um papel de relevância, mas eram ou deviam ser controlados pelos fascistas.  Os comunistas, os marxistas e os democratas foram colocados na cadeia. O Imperialismo Marxista foi anulado completamente. Segundo a Filosofia Socialista Democrática, não há nenhum país fascista na América toda. Há simpatizantes com o fascismo, mas isso é outra coisa. O mais parecido com fascismo é o comunismo de Cuba, o socialismo marxista de Venezuela e a ditadura de Nicarágua. No Brasil, muitos dizem que o fascismo está presente. Mas estão confundindo “atitudes idiotas” com “atitudes antidemocráticas”. Não se pode confundir as coisas. NÃO HÁ FASCISMO NO BRASIL. NO BRASIL HÁ DEMOCRACIA, mesmo que o Imperialismo Marxista diga o contrário. Prova disso? Não poderíamos escrever estes artigos no comunismo, marxismo, fascismo ou nazismo, ou numa Ditadura qualquer, sem ser presos e torturados. Somente numa DEMOCRACIA É POSSÍVEL.

SABIA QUE A FILOSOFIA SOCIALISTA DEMOCRÁTICA É ABSOLUTAMENTE CONTRA AS DITADURAS?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *