UMA DEMOCRACIA PERFEITA

É muito difícil encontrar uma Democracia perfeita. É mais fácil encontrar uma ditadura imperfeita. Isto não quer dizer que exista alguma ditadura perfeita, pois todas as ditaduras são imperfeitas do ponto de vista da racionalidade. Mas procurando uma Democracia perfeita ou o mais perto da perfeição racional, nos encontramos com Democracias imperfeitas a maioria das vezes. Qual seria uma Democracia perfeita? Podemos afirmar, com toda segurança, que todas as Democracias que ficam perto de um sistema Socialista Democrático, estão perto da perfeição. Democracia Perfeita, é aquela que não aceita opressores e oprimidos, coisa particularmente notável (no sentido negativo) nas ditaduras sejam Fascistas ou Marxistas. Cuba, por exemplo, é uma ditadura em que os opressores governam e os oprimidos são governados. Numa Democracia perfeita, vemos cinco poderes da nação com absoluta clareza, independência e autonomia. Todos eles trabalhando no seu ramo, no seu “território de ação” com seus direitos e responsabilidades pela grandeza do país e o bem-estar da sociedade com profissionalismo, honestidade e dedicação. Nenhum deles invadindo o perímetro de ação dos outros. Os cinco poderes  são: (1) O Executivo – dirige o país e faz cumprir as leis; (2) o Legislativo – faz as leis; (3) Judiciário – Julga tudo e todos conforme as leis; (4) Defensivo – formado pelas FFAA, garante a inviolabilidade do território nacional e o funcionamento pleno da Democracia e (5) Controlador – formado por profissionais que controlam tudo e denunciam os atos fora da lei. Todos os poderes são autogerados, exceto o Executivo o Legislativo, que são eleitos direta ou indiretamente pelos cidadãos. Os trabalhadores não marxistas socialistas democráticos sonhamos com uma Democracia perfeita, uma sociedade socialista democrática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *