GOOD BYE LENIN

Este é o nome do filme alemão do diretor Wolfang Becker. Trata de um drama familiar de um rapaz que tem sua mãe, uma marxista inocente como 1% dos marxistas, aposentada, por motivo de doença, da escola onde lecionava. Seu marido, um médico perseguido e hostilizado pelo fato de não querer se inscrever no Partido Comunista Alemão, escapa para o lado ocidental de Berlin. O filme é ambientado nos dias da derrubada do muro de Berlin e da união das duas Alemanhas. O fato é escondido da mãe, que agonizava num hospital. O filme mostra como alguns comunistas levavam uma vida razoável quando não discutiam assuntos políticos e não se pronunciavam pelos horrores da ditadura marxista, ainda mais quando criticavam maluquices do regime em forma muito polida, como criticar a roupa ridícula fabricada pelas empresas do Estado. Também mostra como se acumulava muito dinheiro por causa de não haver nada em que gastar. Assim é que se faziam os “trabalhadores de alta renda” na Alemanha comunista. Os trabalhadores não marxistas, numa ditadura comunista, são perseguidos, hostilizados e humilhados em forma constante, fazendo da sua vida um inferno. Os trabalhadores socialistas democráticos sabemos que o Imperialismo Marxista pretende (inclusive fingindo-se de democratas) nos meter a todos numa ditadura comunista por toda vida. Temos ÓDIO e NOJO das ditaduras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *