INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: avanço ou ameaça?

Marcos Antonio Fiorito – Teólogo – Semanário Alagoas Agora – 16 a 22 de abril 2018.

A ficção científica tem nos apresentado um mundo futurista repleto de avanços tecnológicos e científicos que tornam a vida dos seres humanos muito mais cômoda e prática. Porém muita coisa que os filmes no passado retratavam a respeito do futuro já se tornaram realidade no presente: telefonia celular, redes sem fio, comunicação sem custo intercontinental (seja por voz ou vídeo), drones, naves ultrassônicas, TV slim, internet e seu universo fascinante, carro elétrico, carro a hidrogênio, carro autônomo, máquina de passar roupa, robôs que cozinham, robôs que cortam árvores, robôs atendentes, estacionamento munido de aparato mecatrônico que empilha os carros automaticamente, cadeira voadora, drone que transporta um homem, etc.

Porém a face cor-de-rosa da tecnologia futurista começa a abalar e preocupar seriamente os humanos quando os “profetas” da inteligência artificial apontam para o fato de que até 2030 metade dos empregos existentes hoje podem desaparecer. E para o CEO da Mercedes, Daimler Benz, o panorama é ainda mais assustador: em 20 anos, 70/80% dos empregos irão virar pó[1].

Não é novidade para ninguém que os aplicativos de transporte de passageiros como o UBER, Cabify e 99 Táxi enfureceram os taxistas e, sem dúvida alguma, os prejudicaram seriamente, ainda que tenham facilitado a vida dos cidadãos. Porém os carros autônomos, dentro de alguns anos, irão substituir todos eles, inviabilizando esse tipo de trabalho. Para as empresas que detêm os aplicativos, isso se traduz em ganho 100%, já que não precisarão dividir nada com os motoristas parceiros.

Atendentes robôs começam a ser implantados em restaurantes de fast food, diminuindo drasticamente o número de funcionários. Basta um ou dois que fiquem no local a fim de monitorar e resolver situações imprevisíveis.

Veicula-se pelas redes sociais e WhatsApp imagens de um robô cozinheiro que prepara pratos com espantosa perfeição. Basta você escolher o prato do cardápio que em poucos minutos você tem seu pedido pronto.

Máquinas voltadas para a área de construção civil já são capazes de levantar paredes, rebocá-las e fazer todo o acabamento, incluindo massa fina e pintura. No mesmo segmento temos as impressoras 3D de tamanho gigante, capazes de fabricar uma casa inteira de até 40 metros quadrados, sendo que já estão trabalhando em cima de uma maior, que pode “imprimir” uma casa com metragem superior.

Recentemente, uma câmera de reconhecimento facial prendeu um criminoso na China durante um show com milhares de pessoas. Inclusive óculos de reconhecimento facial começam a ser usados pela polícia desse país munidos de um espetacular banco de dados.

Softwares desenvolvidos para o seguimento de saúde e direito estão ameaçando concretamente os profissionais dessas áreas nos EUA pela perfeição com quem ajudam a apontar diagnósticos e soluções advocatícias.

Qual será o impacto disso tudo dentro de alguns anos? Quantos perderão o seu emprego? Quanta infelicidade isso gerará? Será que assistiremos, como nos filmes futuristas, hordas de seres humanos vivendo miseravelmente nos subterrâneos das cidades enquanto a superfície apresenta construções imponentes, ultramodernas, erguidas com tecnologia de ponta e ostentando riqueza? Não levará muito tempo para descobrir… Quem viver, verá!

[1] Disponível em: <http://providersolutions.com.br/o-futuro-da-vida-pelo-ceo-da-mercedes-benz/?doing_wp_cron=1523741857.1905140876770019531250>. Acesso em: 14 abr. 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *