O CAPITALISMO

Muitas vezes escutamos marxistas e outros grupos de fanáticos irracionais dizerem ou gritarem slogans contra o capitalismo. Isso parece indicar que não há capitalismo nos países marxistas, ou estes partidários da ditadura comunista não sabem que, realmente, sim, existe. O capitalismo não é nada mais que economizar dinheiro para fazer coisas posteriormente. O capital está associado intimamente ao dinheiro. Por acaso não há dinheiro nas ditaduras comunistas? Como fazem obras os comunistas? Resposta: as fazem com capital. Capital do Estado, mas é capital. O capital existe em todos os países. Gritar que se é “anticapitalista” é o mesmo que gritar que são a favor das tribos do Amazonas ou das selvas de Bornéu. Ali não existe capital porque não existe dinheiro. O capital para fazer as grandes obras está, majoritariamente, nas Democracias, onde existe um sistema misto: Governo e privado (em proporções variáveis). Já, nos países ocupados pelo marxismo, todo o capital se encontra nas mãos do Estado e do Governo. É controlado somente pelos comunistas para comprar presunto importado da Espanha como o fazia Fidel Castro, entre outras regalias. (O povo nem ovos tem para comer). Nada de capital nas mãos privadas. Nenhum indivíduo pode fazer nada ali, exceto comer, trabalhar e gritar “viva a revolução!”, e dormir. Nenhuma iniciativa privada é permitida, por mais genial que for. Como dizia um jovem cubano: “o pior de tudo, que tudo é proibido”.

Nas Democracias, é incentivada a geração de mais dinheiro. Cada vez mais dinheiro. Mais dinheiro, mais impostos para o governo fazer mais. Pelo contrário, nos países comunistas, pensar em mais dinheiro é “pecado mortal”. China comunista é um exemplo de desvio ideológico do comunismo. No chamado “comunismo ornitorrinco chinês”, que não deixa de ser um sistema político de “ditadura comunista”, liberou o “capitalismo à moda ocidental”. Se idolatra o dinheiro e aceita a empresa privada. Quando o Capitalismo é de origem privado, geralmente está associado ao “lucro”, à utilidade financeira. Os marxistas chamam isso de “plusvalia”. A rejeitam, a detestam, a negam, a odeiam, a criticam, mas a usam… Não falam isso a ninguém. Nem o reconhecem. A plusvalia (lucro) que usam os comunistas na minoria das suas empresas, lhes permite obter dinheiro para fazer suas coisas, suas obras. Por isso ao escutar os marxistas dizer que são contra o capitalismo (o liberalismo é outra coisa) estamos frente a pessoas que estão dizendo que são a favor das tribos do Xingu do Amazonas do Brasil e seu sistema sem capitalismo. Karl Marx dizia que as grandes obras se podiam fazer com as “sobras de dinheiro”. Isto é uma forma hipócrita e primitiva de chamar o “lucro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *