O SOCIALISMO DEMOCRÁTICO NA EUROPA

Antes de 1914, o Socialismo Democrático na Europa era minúsculo. Uma raridade para estudar nas cátedras de sociologia das Universidades. Sua existência parecia se eternizar em apoiar a Social Democracia, que era muito parecida em conteúdo, propósitos e ação. Não havia grandes diferenças que as excluíssem mutuamente. Ambas eram anticomunistas, o que facilitava muito as coisas. Da mesma forma, ambas tinham por objetivo melhorar as condições dos Trabalhadores e manter a Democracia monárquica, parlamentarista ou presidencial (Suécia, Alemanha, Dinamarca, Noruega, Finlândia, Estônia, Lituânia, Letônia, Polônia, etc.).

Quando em 1917 Lenin decidiu exterminar os Socialistas Democráticos (Socialistas Revolucionários, como se eram intitulados) da Rússia, estes se entrincheiraram na Fortaleza Militar Naval de Kronstad no mar Báltico.  Motivo: os Socialistas Democráticos não queriam ditadura, queriam Democracia. Lenin os atacou com dois exércitos e milhares de comunistas voluntários. Ao sentir-se derrotados, centos e centos de líderes do Socialismo Democrático fugiram para Finlândia (que já não estava sob o domínio russo) pelas geladas estepes do norte da Rússia, à noite, salvando suas vidas e perdendo suas famílias, que depois foram expurgadas pelos comunistas de Lenin. Milhares de Socialistas Democráticos foram enviados em trens a regiões inóspitas da Sibéria, por vingança irracional dos comunistas, junto com suas famílias e filhos. Muitos foram enviados a Campos de Concentração, onde padeceram de diversas enfermidades (tifos preferencialmente) e maus tratos.

Alguém se pergunta, por que os Socialistas Democráticos temos tanta raiva e nojo dos comunistas?

Os Socialistas Democráticos se distribuíram pelos países do mar Báltico, onde foram protegidos e aceitos pelos Partidos Sociais Democratas que tinham uma forte presença política em seus países. Esses lutadores sociais formaram as correntes minoritárias Socialistas Democráticas dos grandes Partidos Sociais Democratas do Báltico. Sempre ajudando e não atrapalhando a condução política do partido protetor ou acolhedor.

Os Socialistas Democráticos em função do seu agradecimento à Social Democracia, se propuseram sempre a ajudar, cooperar e nunca ser um estorvo à Social Democracia, mas deixaram claro que seriam sempre ANTITOTALITÁRIOS e a favor da DEMOCRACIA. Como a Social Democracia europeia tem sido sempre anticomunista, ela tem tido sempre o apoio do Socialismo Democrático. Este apoio não pode ser transferido aos Partidos Sociais Democratas de América Latina e África, pois estes, volta e meia, estão se aliando e fazendo pactos com os marxistas-comunistas. Isso é inaceitável pelo Socialismo Democrático. Nesses países da América Latina, o Socialismo Democrático se mantém apenas como uma filosofia de vida. O único Partido Político Socialista Democrático de América Latina que se tem notícia foi fundado pelo deputado Don Juan Florencio Galleguillos Vera, no Chile, e de curta duração, massacrado pela direita y pelos marxistas. Se anexou ao PADENA, também exterminado, por Pinochet.

Os comunistas querem ditadura; os Socialistas Democráticos, DEMOCRACIA.

Os comunistas odeiam os ricos; os Socialistas Democráticos, a miséria.

A DEMOCRACIA É O OPOSTO DA DITADURA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *