OS IMPOSTOS

No capítulo 4 do Manifesto Socialista Democrático fala-se que os impostos devem ser menores e mais justos. Sabemos que todos os cigarros fazem mal para a saúde, então devem ter um imposto único muito alto. Isto é justo. Os remédios e medicamentos deviam ter o imposto mínimo. Isso também é justo. As bebidas alcoólicas deviam ter um imposto percentual equivalente ao teor alcoólico delas. Assim, por exemplo uma bebida com teor alcoólico de 12° GL (vinho) deveria ter um imposto duas vezes superior a uma bebida com 6° GL (cerveja) e um quarto do Imposto de um Whisky de 48° GL. Alguns países usam um procedimento crescente para calcular o percentual de imposto sobre a renda dos Trabalhadores (Lema Universal: De cada um segundo suas possibilidades e a cada um segundo suas necessidades). O método proposto pelos Socialistas Democráticos é usar uma fórmula linear para calcular a percentagem a aplicar, conforme o soldo (Salários Mínimos = SM), do Trabalhador, mediante a formula “IP = (k) (SM)”. No caso de alguns países, por exemplo, o valor da constante k é de 0,4. Assim, se um Trabalhador ganha 4 SM, deverá pagar apenas 1,6 % do seu salário (pode se isentar os que ganham abaixo de 4 SM). Aquele que ganhe 20 SM, pagará apenas 8%. Quem ganhe 40 SM, o índice será de 16%. E assim sucessivamente, até um máximo de 50%. Obviamente que o valor de “k” é fixado pelo Governo e o Parlamento de cada país. Numa ditadura, o ditador coloca o valor arbitrariamente, e todos devemos dizer “Amém”. Temos NOJO das DITADURAS.

“NUMA DITADURA, A SOCIEDADE SE MANTÉM NUM EQUILÍBRIO INSTÁVEL A PONTA DE FUZIL”. (“DEMOCRACIA E TOTALITARISMO”. Rio de Janeiro: Ed. Agel, 1985, por Sergio R. M. Becker).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *