APOIAR QUEM?

Muitas vezes nos encontramos com esta grande dúvida. Principalmente os adeptos da Filosofia Socialista Democrática, que são independentes de partidos políticos. Vejamos o caso da última eleição no Brasil. A votação mais importante se deu no segundo turno, entre as duas maiorias. Um dos candidatos representava as forças do Imperialismo Marxista, mesmo se autointitulando Democrata. Sua candidata a vice-presidente era uma mulher do Partido Comunista. O triunfo deste candidato seria ter como vice-presidente uma comunista, com tudo o que se possa esperar de ruim: principalmente no campo internacional: apoio irrestrito às forças do Imperialismo Marxista nas ditaduras de Cuba, Venezuela, Nicarágua, etc. Dando as costas aos Trabalhadores que lutam pela Democracia nesses países. A liberdade inexistente e a ditadura persistente seriam reforçadas.

Do outro lado, tínhamos um candidato que aparentemente representava as forças mais direitistas do país, no entanto a sua trajetória política demonstrava ser volúvel, inconsistente, instável, parecia ser um insano mental, muito agressivo, mas tinha a seu favor uma alta energia anticomunista, antimarxista, antipopulista e se dizia ser um autêntico Democrata e liberal, anticorrupção. Não havia dúvidas para qual candidato estavam voltadas as nossas intenções de voto, mesmo que não fôssemos totalmente simpáticos a nenhum deles. Havia que “escolher o mal menor”: o anticomunista. Assim foi a escolha de milhões, juntamente com os Socialistas Democráticos (a maioria silenciosa). E o candidato antimarxista foi o eleito.

Hoje pagamos as consequências disso ao ter um Presidente que nega que a Pandemia de Covid-19 seja algo sério, dizendo que é apenas una “gripezinha”, mesmo levando à morte milhares de brasileiros e não havendo remédio para tratar a doença. Fazendo uma guerra (boicote) contra a guerra à pandemia. Esquecemos o que se passou na Alemanha de 1933, em que o povo alemão por medo dos comunistas votou em peso por Adolfo Hitler e passou o que passou. Todos “pagaram o pato”, pagaram o erro cometido. A solução nessa época seria entregar o poder aos socialdemocratas, que tinham uma forte corrente de Socialistas Democráticos em suas fileiras, sobreviventes dos bárbaros extermínios por parte dos comunistas na União Soviética, mas os socialdemocratas não foram suficientemente enérgicos em demonstrar ao povo alemão sua oposição contra os marxistas e comunistas, apesar que Stalin os havia chamado de “socialtraidores”. O mesmo aconteceu no Brasil.  A história se repete, infelizmente…

A FILOSOFIA SOCIALISTA DEMOCRÁTICA REÚNE O MELHOR DO SOCIALISMO (JUSTIÇA SOCIAL) E O MELHOR DA DEMOCRACIA (LIBERDADE), E É DEMOCRÁTICA E CONTRA AS DITADURAS MARXISTA E FASCISTA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *